Pilates na Escola chega a Portugal

O Workshop Pilates Kids – Metodologia Pilates na Escola foi desenvolvido para compartilhar com Instrutores de Pilates o método que realizamos dentro das Escolas com as crianças. Por ser um trabalho pioneiro e inovador, despertou a curiosidade de muitos profissionais e, além disso, é um assunto que não é explorado nos cursos de formação em PIlates

Então como dar uma aula de Pilates para crianças sem ser monótona e entediante e ao mesmo tempo respeitar o método desenvolvido por Joseph Pilates? Desde 2016 espalhamos nossa metodologia pelo Brasil, até que em 2018 atravessamos o oceano atlântico para terras Portuguesas. Foram 3 workshops em 3 cidades diferentes (Coimbra, Porto e Lisboa) com Instrutores portugueses e alguns brasileiros que também nos prestigiaram.

Algumas perguntas sobre nossa temporada  em Portugal:

– Como fomos recebidos? Excepcionalmente bem! Conhecemos profissionais  muito competentes e carismáticos em todos os locais. Foram 35 profissionais certificados e nossas organizadoras foram impecáveis: Fátima, Bárbara (professora Preta) e Adriana. As crianças que participaram da parte prática do curso sentiram-se a vontade e terminaram querendo fazer mais pilates (quer recompensa melhor que essa?)

– Qual foi o feedback dos cursos? O melhor possível! 100% de aprovação e reconhecimento de qualidade por todos os participantes;  

– Como está o método Pilates em Portugal? Grande parte dos “gabinetes” (estúdios como eles chamam) ou “ginásios” (academias) possuem aulas de Mat Pilates. Diferente do Brasil, você não encontra um estúdio ou vários em cada rua, com aparelhos completos.  Os profissionais que procuram o método são na maioria educadores físicos ou TEF (técnicos de exercício físico). Os Fisioterapeutas estão começando a buscar formações no método, mas ainda são em menor número.

Ainda não houve uma banalização do método, como está acontecendo no Brasil, com cursos de formação de um final de semana e profissionais sem qualificação e experiência formando outros Instrutores. Ao mesmo tempo, ainda há poucos cursos e workshops com profissionais renomados, como temos no Brasil. É um mercado que ainda está engatinhando, mas em expansão.

– Como será em 2019? Voltaremos no mês de maio para mais uma temporada de Workshops em Lisboa e no Porto. Acesse nosso calendário de cursos para saber mais!

  • Curiosidade: em Portugal não se usa a palavra “bumbum”, e durante a prática utilizamos diversas vezes essa palavra para conduzir o aluno, principalmente com crinaças, não é? “ levanta o bumbum do chão”; “baixa o bumbum”. Então nos ensinaram que lá se dizia “rabo” ou, carinhosamente, “ rabiosca” ou “rabinho” (engraçado para nós brasileiros, pois essa palavra tem outra conotação, rsrsrs). No final já estávamos familiarizados com o idioma, e falando como os portugueses, ora pois!

Pilates não é só alongamento!

Pilates também trabalha alongamento, mas não se resume a isso.

Nas aulas (tanto em equipamentos quanto no solo) são trabalhadas valências físicas como equilíbrio, força, respiração, controle, percepção corporal, alinhamento postural e alongamento, por exemplo.

O Método foi desenvolvido por volta de 1930 pelo alemão Joseph Hubertus Pilates, a partir de influências como yoga, filosofia oriental, artes marciais e observação do movimento humano. Na época chamado de “Contrologia”, Joseph classificava o método como a coordenação completa do corpo, mente e espírito.

De lá para cá, o Pilates se disseminou em muitos países de forma muito rápida,
principalmente nos EUA, local onde ficou famoso por atender bailarinos e artistas de Nova York. Chegou ao Brasil nos anos 1990, e hoje é difícil que não se tenha, ao menos, ouvido falar do Método. Ao mesmo tempo em que o Pilates se alastrou velozmente, alguns “mitos” sobre ele nasceram da opinião de pessoas que não sabem exatamente do que se trata. Como este, por exemplo, de que só se trabalha alongamentos durante as aulas.

Um estudo realizado na Universidade Federal de Santa Catarina em 2003 analisou a importância da flexibilidade corporal em pessoas que trabalham na posição sentada. Foi constatada uma forte relação da falta de alongamento na musculatura de isquiotibiais com a maior queixa desses trabalhadores: dor lombar (REIS, etc al., 2003). Então é claro que ao longo das sessões de Pilates também trabalhamos alongamento, por motivos constatados cientificamente de que um corpo com mais amplitude de movimentos é um corpo com menos desconfortos.

O Método foi criado bastante completo pelo Joseph e, na época, sem tantos embasamentos científicos. Hoje, entretanto, podemos reafirmar o método a partir de pesquisas.

Alongamento é sim importante para o corpo mas não é a única forma de ganhar amplitude de movimento (seja muscular, seja articular) e para tanto, o Método Pilates não trabalha apenas com esse viés.

“Se aos 30 anos você está sem flexibilidade e fora de forma, você é um velho. Se aos 60 anos você é flexível e forte, você é um jovem.”
“A arte do Pilates prova que a sua idade não é medida em anos, ou como você acha que você se sente, mas sim pela flexibilidade normal da sua coluna ao longo da sua vida.’’
“Contrologia desenvolve um corpo uniforme, corrige posturas erradas, restaura a vitalidade física, vigora a mente, e eleva o espírito.”
Joseph Hubertus Pilates

Pilates na Escola no 18th Annual Meeting – Pilates Method Alliance em Las Vegas

Em Outubro de 2018, o Pilates na Escola esteve presente na maior conferência de Pilates mundial, a 18th Annual Meeting, promovido pela Pilates Method Alliance (PMA), que aconteceu em Las Vegas – EUA. A diretora Paula Leão participou do evento que contou com mais de 850 Instrutores de Pilates de 30 países reunidos com grandes nomes do método Pilates.

A Conferência contou a ilustre presença das únicas Elders (discípulas diretas de Joseph Pilates) que ainda estão na ativa, Lolita San Miguel e Mary Bowen. Foram 3 dias de imersão com mestres renomados de diferentes linhas do método Pilates, troca de experiências em um networking incrível entre profissionais do mundo, encontro com amigos e muito aprendizado, com Workshops que abordaram do clássico ao contemporâneo com muito respeito e amor pela contrologia.

Uma honra estar ao lado de mestres que você estuda e admira através do Pilatesology ou do Pilates Anytime (Kathi Ross-Nash; Kathy Corey; Ilaria Cavagna; Rachel Taylor; Benjamin Degenhardt, entre outros); participar de uma super Mat Class (Matapalooza) com 400 participantes conduzida por profissionais excelentes foi uma experiência sensacional.

O Pilates na Escola teve o privilégio de apresentar ao mundo um pouco do trabalho realizado nas escolas, através do estudo de caso: “Effects of pilates Mat on the posture of a child in the school environment”. O único pôster que abordou o assunto pilates para crianças da Conferência.

A Conferência ainda trouxe a seguinte questão: “How would Joe & Clara feel if they could see us all here today?”.

“Como Joe e Clara se sentiriam se pudessem nos ver todos aqui hoje?”

“Tenho certeza que o sentimento seria de missão cumprida, pois ver tantos profissionais do mundo reunidos com respeito e amor pelo método, mesmo com diferentes linhas de trabalho é incrível. Minha segunda vez na Conferência só confirmou o quanto existem pessoas apaixonadas pelo que fazem, generosas ao compartilhar seu conhecimento e dispostas a conhecer o que o mundo do Pilates tem para oferecer. Estar aberto para novos aprendizados é o melhor caminho para encontrar o seu propósito e o que faz sentido para você! Que venha 2019, em Monterey – CA.“ Paula Leão